A transparência do poeta Thássio G. Ferreira em (Des)nu(do)


O livro da matéria de hoje foi uma super indicação da Agência Literária Oasys Cultural, que fez questão de presentear o site com um exemplar maravilhoso do estimado autor Thássio G. Ferreira. Desde já, nossos agradecimentos mais sinceros a Oasys Cultural por nos apresentar esta obra ímpar e de muita notoriedade. A beleza da alma e do espírito despe o poeta Thássio Ferreira em sua obra (Des)nu(do), Editora Ibis Libris, que transmite com sensibilidade, em farsa, falsete e farisaísmo, os espinhos, o turvo instante, a percepção da pele e seus mais rítmicos movimentos, como na arte corporal mas descrita em forma-poesia que convida e colide com a realidade do ser. A leitura do livro mostrou-se, além de célere, leve e super agradável, representada por um autor jovem e cheio de habilidade, um poeta transparente e realmente desnudo de quaisquer enfeites contraditórios a poesia e ao mundo.

O equilíbrio lírico junta-se ao instante profundo e literário, absorvendo das composições os sentidos mais acurados das palavras com gana de apressar e apresentar ao corpo, alma e espírito o conjunto literal do ser despido liricamente, capaz de converter-se numa dinâmica à sua existência. O poeta não apenas poetiza, verbaliza e, de maneira harmônica, enfatiza, mas entrega-se por completo à essência de tal existência ao referir-se "ao sol do mundo". Thássio Ferreira sente a cura, decifra-se através das vozes dos ventos onde, num passado e presente, descobre que já foi garoto das chuvas, menino nas tempestades, homem do Sol.

Em (Des)nu(do), o poeta liberta-se de tudo o que possa parecer um cárcere, livrando-se das roupagens (interior e exterior), adquirindo a emoção poética que reverbera através de técnicas aplicadas sem desconfiança e com muita habilidade. E a carne inrancorosa pobre, que sangra agora, retrata a imagem do poeta despojado, de interior baldio, (mas não pela falta do TER, somente por NÃO ter onde mais preencher). Entre choro e sorriso, uma poesia é como parte da outra que, quando lida e sentida, completa a razão objetivando-a simultaneamente: "Não faço caso do que o vento / já murmura quando passa / por minha casa. / Quero eu dar vozes aos ventos / que se geram no que minto / e se expelem por meus poros, / carregados do que imagino / e não ouso falar.; ... "Dentro do meu peito, / um pouco do lado esquerdo, / perto do pulmão, / há um terreno baldio, / onde escreve o coração. / Primeiro, templo vazio, / feito casa velha, abandonada".

A transformação do ser é clara e, entre rimas e ferramentas da classe poética, Thássio Ferreira se despe no cenário nacional da literatura e encara o mundo de maneira direta e da forma que veio a ele, inteiramente descoberto, sem armas e estruturas corpóreas, concretas, mas em sumo recursos intrínsecos. O poeta abraça o leitor com proeza e transparência, fugindo do prosaico, refletindo a silhueta clara e perfeita de um "sóis de outro", que aflora com estranheza o exercício da rima, a loucura das palavras, a fraqueza, o desalento, o amor, o poema. Na obra (Des)nu(do), em cada parto seu, cujo sentido aqui extremamente poético, Thássio Ferreira revela o encanto guardado no interior, na nudez, na ausência da decência literária que condiciona, às vezes, um retrato falso do que se lê, se vê e se sente. O autor mostra-se primeiro e, só então, pela escassez de enfeites, é capaz de espelhar para o leitor o lado mais cru e belo das formas de uma existência. (Des)nu(do) é um livro sem eufemismo, aliviante e cuja intensidade não se encontra na emoção poética, sim na consciência do poeta que, como uma convulsão, grita que não é triste o tempo, grita que não é triste o mundo!, grita que é bela a vida (!).

Dividido em três partes (I - O Poeta, II - A Poesia e III - O Tempo e o Silêncio) o livro transmite através das 49 poesias, matérias-prima do interior de seu poeta que, com riqueza na linguagem, lapida cada palavra afim de expor tais sentimentos e imagens existentes. As interpretações inesgotáveis e a gama de sonoridade, embelezam as composições de Thássio Ferreira, que consegue libertar não somente a si, mas seus próprios versos poéticos em (Des)nu(do). A leitura do livro permite o leitor explorar a si próprio enquanto descobre as semelhanças do ser. As figuras de linguagem, como metáforas e aliterações, é uma jogada do autor que transita em sua própria nudez lírica. As sintaxes maravilhosas vibram e pulsam expressando o forte e profundo teor das múltiplas facetas. Vale a pena ler, recitar, refletir e guardar estes belos filhos de mais um talentoso poeta contemporâneo. 

"Sob o peso
de sermos
o que somos,
colapsamos,
a cada instante..."

Sobre o livro

Título: (DES)NU(DO)
Autor: Thássio G. Ferreira
Editora: Ibis Libris
Estrelas: ✮✮✮✮✮
Gênero: Poesia
Páginas: 84
Ano: 2016

Sinopse: Despido de si, o uno é sempre um outro, de maneira que somente a poesia possa deflagrar tal dinâmica de alteração e pró-criação do existente. A razão entra, sim, no cuidado de revelar a própria emoção poética, sem que a aniquile quando consumada na forma-poema. Dessa consciência, Thássio G. Ferreira se vale: maneja ferramentas sonoras, rímicas, rítmicas. Entre aliterações e assonâncias, não joga as palavras, nem somente joga com elas. O poeta se joga, sim, à palavra como quem “se entrega ao sol do mundo”. Prefácio de Igor Fagundes.

Sobre o autor

Thássio G. Ferreira nasceu em São Gonçalo (RJ), cresceu em Niterói e mora no Rio de Janeiro, sendo um cidadão da Baía da Guanabara. Formado em Direito, trabalha com projetos ambientais e escreve poesia e prosa desde os dezesseis anos. Já participou de uma antologia poética e uma de prosa, sendo ''(DES)NU(DO)'' o seu primeiro livro próprio.

O livro na Editora Ibis Libris: https://goo.gl/xMW2hF
O livro no Skoob: https://goo.gl/vn9PN9
A Editora Ibis Libris: ibislibris.loja2.com.br
A Oasys Cultural: www.oasyscultural.com.br
A Oasys Cultural no Facebook: facebook.com/oasyscultural

4 comentários:

  1. Adoro livros de poesia. Apesar de eu ultimamente não tê-las lido frequentemente e, muito menos criado poesia. Mas, é sempre revigorante para minh'alma poder lê-las. Excelente resenha. Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Luciano,

      Sou apreciador de boas poesias. O livro do Thassio é maravilhoso.

      Abraços.

      Excluir
  2. Oi, Leo, tudo bem? Que texto denso! :D

    Fico muito feliz de ver alguém se debruçar tão profundamente no meu livro para destacar variados aspectos da minha poesia. Super grato!!!

    E a você e a todos os leitores do blog, lá no meu perfil no facebook (www.facebook.com/thassioescritor/) e no meu perfil no instagram (@thassiof) estou sempre postando novos versos, sigam e curtam ;-D !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Thassio, grato por sua visita.

      É uma satisfação apresentar essa obra tao maravilhosa aos leitores e amigos do portal. Novamente, parabéns pela composição.

      Será uma honra te seguir nas redes e acompanhar suas novidades.

      Abraços.

      Excluir

Conheça mais sobre o fundador do Marcas Literárias

LIVROS DO AUTOR LUCIANO OTACIANO EM DESTAQUE

#PapoComAmanda: Especial Halloween

Artigos, crônicas, contos, poesias e destaques