O eu do ego que existe em nós


Pode parecer até uma piada, algo estranho difícil de acreditar, mas certamente todos nós estamos presos em nós mesmos. São tantos questionamentos que por vezes parece que o Universo em sua magnitude e incompreensão humana é composto de energias e sobretudo inúmeras dúvidas. Quem é que nunca teve dúvidas em sua existência? Acredito que ninguém. E, por falar em ninguém, será que esse mesmo ninguém não é o véu de ignorância da medíocre realidade existente que percebemos do mundo?

O mundo, ou melhor, o planeta Terra é constituído em sua maior parte de água. Água esta que nos mantêm vivos e em perfeito funcionamento de nosso frágil corpo. Em minha visão a substância aquosa e incolor no qual chamamos de água é o elemento mais importante do Universo. Saiba que até mesmo no espaço sideral existe água. Somos praticamente uma mistura de água e ossos contornada por pele. Certamente as composições químicas que nos fazem sentir prazer e dor, alegria e tristeza e tantos outros sentimentos que sentiremos ao longo de nossa jornada por aqui.

Por que temos tantas dúvidas? Dúvidas que surgem a todo o momento nos impedindo de ver o que está diante de nossos olhos. Mas é por causa dela que não vemos com clareza o que os nossos limitados olhos humanos não podem ver. É sabido que o olho do homem é um instrumento fantástico, o mesmo nos dá uma capacidade de vermos a realidade, a que fomos Criados para viver. Mas, e o que não se encontra em nossa realidade? Esses, não somente não conseguimos visualizá-los, como para nós não existe. É inexistente. Quando falta-nos energia elétrica, aquela que somos tão dependentes se não estivermos com nosso mais novo amigo inseparável o smartphone, não saberemos nem para que lugar estamos indo. Ficamos literalmente cegos! Será que a raça humana não está de fato cega há tempos? Por que tememos tanto o que desconhecemos? Nossa busca incansável de querer conhecer tudo nos leva a duvidar até de nós mesmos.

A velocidade que buscamos só é superada pela nossa própria dúvida. Por que somos assim? O ser humano é o único ser que existe e coexiste da incerteza. Uma incerteza cruel que dilacera nossa alma e nos aprisiona em nossa própria prisão que chamamos de corpo.

Por que damos um valor exagerado ao nosso corpo físico? Essa prisão de água e ossos um dia desaparecerá da face da Terra. E, o que a gente faz com o nosso espírito? Nossa alma clama, ela pede ajuda implorando cuidados. Cuidados esses que descuidadamente não cuidamos. Negamos o cuidado de nosso ser. É como se nós não a tivéssemos.. Nossa mente não para. Assim como o tempo que não dá trégua em nos lembrar que a cada segundo vamos envelhecendo sem ao menos sabermos exatamente de onde viemos e para onde iremos. A outra dimensão nos parece algo novo, mas esquecemos que de lá viemos. Quando se vai para algum lugar, antes de chegar ao destino que precisamos alcançar temos de sair de um lugar, não é mesmo? Que lugar é este? Esse lugar é de onde viemos, ou seja, outra dimensão.

Saiba de uma coisa: iremos para o lugar de onde viemos. O homem não entende essa lógica tão clara. Como anda a sua espiritualidade? Ela está em dia ou seu lado espiritual já está vencido igual aquela fatura vencida alguns dias atrás, que você nem se lembrava de sua existência?

Quando se nasce levamos uma vida leve e praticamente pura dependendo da pessoa que nos educa, ou seja, nossos pais. Vivemos o nosso próprio conto de fadas na infância que nos tempos atuais não existe mais. Tratamos uma criança com obrigações de uma pessoa adulta hoje em dia. Esse hábito execrável afasta-nos de nossa espiritualidade infantil. Por que existem crianças que afirmam ver e até mesmo conversar com algo que só existe nas mentes delas? Simples, elas têm o seu lado espiritual saudável e puro, ou seja, elas pagam a fatura em dia. Aquela que você esqueceu de pagar! Que coisa feia, uns ainda dizem que, gente adulta não tem nada para aprender com crianças. Ingênuo engano! A verdade é que negamos o nosso melhor lado quando crescemos e, esse hábito inevitavelmente afasta-nos de nossa essência. Lembre-se, nossa parte espiritual sempre estará conosco, pois a mesma nos faz ser o que realmente somos. Não a negue. Nega-la é o mesmo que deixar um bebe abandonado no frio de uma esquina de uma rua deserta. É algo que não se faz! O homem por natureza é um ser de hábitos e crenças que, na maioria das vezes ele segue não por vontade própria, mas sim pelo seu ego. O homem trata a mente, o corpo e alma separadamente, esquecendo que, uma mente não precisa de um cérebro humano para existir. Assim como o espírito e alma não precisam de um corpo físico para existir. A complexidade da mente e alma são algo que o homem não compreende em sua totalidade. O que o ser humano entende é do corpo físico, este é tratado com muito esmero, parece até que o ser é só corpo. O corpo físico é tão frágil e podre. É frágil porque depende de uma alma, o sopro da vida para existir, é impossível que exista sem essa centelha de substâncias inexplicáveis para o homem. E, é podre porque quando se fere e não é tratado corretamente o ferimento exala um fedor desagradável. Sem contar que ao morrer, o corpo físico mais se parece com o interior de um abutre. Ou seja, podre!  

A humanidade tem feito o esforço descomunal de acreditar em uma força maior e tudo o mais. São dogmas religiosos, são crenças criadas pelo homem para mascarar a sua incapacidade de seguir em busca da Verdade. Nem mesmo a Ciência escapa da descrença humana. Esquecemos do mais importante, saber que a divindade e nós somos a mesma coisa. O que nos separa do Criador é o plano. Ora! Se de fato existe um Deus e nós fomos criados por Ele, logicamente fazemos parte dEle. Somos em nossa verdadeira essência Ele para os que nEle acreditam. Saiba que Deus existe para aqueles que nEle acreditam. Se eu não acredito nEle é certo que Ele não existirá.

Essa lógica é tão simples e ao mesmo tempo complexa. Fiquei com uma enorme dor em minha cabeça ao concluir uma lógica banal de tão complexa que é. A extrema complexidade dessa lógica tem confundido muitos por aí. Os cientistas procuram encontrar explicações e razões críveis para o surgimento do Universo. Ora, se somos capazes de duvidar que em essência somos o próprio Deus, como os estudiosos serão capazes de equacionar suas geniais pesquisas? Estou certo que o descobrimento da origem do Universo é uma tarefa impossível a qualquer mortal. Não fomos Criados para entender o que nossa mente não é capaz de explicar. O homem existe para duvidar, o mesmo possui inúmeras dúvidas, sendo assim não acredita em nada.

O nosso ego é maior do que a origem de tudo. Comparado ao ego do homem o Universo é o brinquedo de uma criança. Somos quase que totalmente controlados pelo nosso ego, e sendo assim é impossível compreendermos de fato como tudo se originou. Já pensaste que, talvez o ego dEle é que se fez a criação de tudo? Pense nisso, quem sabe encontrarás a resposta que a humanidade tanto almeja.

Em minha humilde, mas sincera visão sobre o assunto, vejo que Deus existe pela vontade de parte da humanidade, em um nível bastante sutil, porém real da existência dEle. E sempre irá continuar existindo enquanto a mente de parte da humanidade assim conceber. No exato momento em que parte da humanidade o deixar de concebê-lo, Deus então passará a não existir mais. Na minha visão, Deus existe independentemente do que parte da humanidade, com a limitadíssima mente humana possa crer, concebê-lo ou não. Para ser sincero a opinião delas não me diz respeito, sou indiferente a esse pequeno detalhe. Cada pessoa tem o direito de crer ou não na existência dEle. Analisando de uma forma mais ampla vejo que os deuses não são jamais criações individuais da humanidade. É o conjunto de mentes que trabalham na crença de um Deus que o torna real no mundo em que vivemos. Esse talvez seja o motivo que uma única mente não possa defini-lo e compreendê-lo em sua totalidade. Apesar de terem suas imagináveis formas criadas pelo desejo consciente ou não das pessoas, ou deuses ao meu ver não são uma mera ilusão, mas sim aspectos da manifestação da criação em sociedade. Para o homem aquilo em que se acredita, passa a ser real em sua limitada e duvidosa mente.
 
É dificílimo para o homem acreditar naquilo que não consegue ver e tocar, o que o leva consequentemente a dúvida e a descrença. Essa ignorância de parte da humanidade tem levado o homem ao fracasso.  Ignorância é o desconhecimento de algo que não se conhece, a partir do momento que o homem passou a querer saber de tudo e essa busca desenfreada de querer entender de assuntos que não lhe diz respeito como a origem do Universo. Esse foi o momento da ruína do mesmo, e a origem de tal soberba e prepotência da humanidade é o ego.

4 comentários:

  1. Olá, Luciano. Belo texto!
    Quando saímos dessa fase, nos vemos rodeados de pessoas que nos incentivam a buscar explicações racionais e formas de melhorar a vida de forma material. Assim somos conduzidos à ignorância, buscando o que conseguimos tocar, olhar, sentir...
    E todos a nossa volta nos apoiam, ficas cegos, nosso ego cresce e nos tornamos uma pequena parte perdida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A humanidade sempre buscará formas de buscar as respostas para tudo. É lamentável, mas é a realidade. Abraços!

      Excluir
  2. ''Será que a raça humana não está de fato cega há tempos?''. Sim, estamos cegos e lutamos descaradamente para não acordarmos. Chega a ser assustador quando percebemos que muitos não querem acordar.

    Ouvir o outro eu existente dentro de nós, é sempre importante, mas deixá-lo que ele nos domine é um erro. O descontrole desenfreado que o mesmo pode trazer ao comportamento do ser humano é alto.

    Ótimo texto, muito reflexivo.

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Leonardo! É de fato muito assustador, ver o homem sendo totalmente dominado pelo seu ego. Abraço!

      Excluir

Conheça mais sobre o fundador do Marcas Literárias

LIVROS DO AUTOR LUCIANO OTACIANO EM DESTAQUE

#PapoComAmanda: Especial Halloween

Artigos, crônicas, contos, poesias e destaques