O encontro com o 'Milagre Obscuro', livro de Patrick Alex


Há algum tempo venho me dedicando à leitura do livro Milagre Obscuro, escrito por Patrick Alex e publicado pela Chiado Editora. Há como constatar que a leitura é intrigante e cheia de resquícios de comportamentos humanos. Isso é uma característica acentuada na obra, que retrata um enredo onde, na verdade, o drama pesado e perigoso é o ponto mais marcante de todos os modelos vislumbrados com a obra. A narrativa detalhista de Patrick faz com que o leitor, desde cedo e já pela sinopse, monte a imagem de um protagonista melancólico, desesperançoso e capaz de se entregar ao vazio total. "Não era o coração. Selena estava em sua cabeça. O amor estava perdido entre a razão e a sã consciência e estava prestes a transbordar". Problemas da camada social e individual são apresentados e bem desenvolvidos em situações dramáticas, comuns e até inusuais. O Bullying aparece em excesso em vários instantes, a incapacidade da interação social torna-se um reflexo do universo introspectivo mostrado na obra, as frustrações diante à perdas e dúvidas e suas consequências montam um panorama fiel que, às vezes, se torna furtivo dentro da família. O enredo é deveras perturbador e até a paranormalidade fica em pauta em Milagre Obscuro quando Patrick escreve: "Nunca conheci muitas pessoas com mediunidade. Há quatro anos, tive uma colega de quarto chamada Lucinda. Ela foi internada porque previu a traição do genro, a morte do segundo neto e a parada cardíaca do marido. Só não pôde prever a própria morte."

O estilo assustador de um romance sombrio, também enfatiza assuntos como injustiça e o disfarce de uma família e de pessoas perfeitas, o que chama muita atenção, pois afinal, num mundo cheio de defeitos, ninguém pode chegar próximo à perfeição e isso é um ponto que o autor certamente conseguiu passar, revelando o lado sombrio de cada personagem e fazendo questão de exibir suas falhas de conduta e caráter, não escondendo os piores defeitos e deslizes praticados por Demitri e toda a gama de personagens. Patrick desmonta-os ao ponto de mostrá-los ao leitor como perfeitos idiotas ou mesmo os verdadeiros anti-heróis, mas que conseguem causar, através de suas falhas, razões para boas reflexões: ''Em toda a turma há aquele que sobra por último no futebol, que ninguém quer escolher para o seu time, o que é intimidado a dar o lanche na merenda e aquele que não sabe a diferença entre hétero e homossexual, porque nunca haviam lhe contado. Demitri era esse aluno. Gorducho e quieto... também não achava que o problema fosse exclusivamente a sua virgindade (que mais tarde se tornara o foco das brincadeiras)... Demitri sempre achou que ele tivesse algum problema".

No roteiro, fica claro a busca interminável do protagonista por uma personalidade. Fica muito bem apresentado a baixa estima que circula o mundo dos adolescentes que se questionam a todo o tempo sobre componentes sexuais e de valores, tanto individuais quanto familiares. Esse conflito de identidade nem sempre acarreta as melhores consequências, e as ideologias e qualidades internas sobre ética e moral se perdem diante do contexto. É exatamente isso que acontece em Milagre Obscuro. Os conceitos sobre relações e as mutações no âmbito da amizade sofrem uma ligeira influência devido ao contexto em que vive Demitri e seus poucos amigos. "Você está se perdendo nessa obscura busca de uma personalidade. E você está cada vez mais longe... de nós, de tudo. Você precisa voltar para nós! Eu quero o meu filho de volta, Demitri!".

A narrativa do autor é espetacular e o leitor se envolve rapidamente na história, conseguindo visualizar com perfeição o cenário rebelde do mundo adolescente. Patrick Alex consegue trazer para a realidade do leitor os dissabores encontrados com a solidão, com a falta de apoio dentro da família, com os amores não correspondidos, com as perdas e com toda a insensibilidade por parte de pais autoritários, desencontrados ou fanáticos religiosos. Vê-se, durante o longo percurso das 639 páginas, um jovem protagonista que luta também contra a anulação de seus desejos, caracterizada pela conduta aberrante dos pais. A esperança da cura familiar se esvanece à medida em que, lá fora, coisas incomuns passam a acontecer na cidade: "Vi-se mexendo às cegas a língua dentro da boca redonda e aberta, os dentes haviam voltado para o seu lugar, alinhados e escondidos atrás dos lábios molhados. Sentiu o sangue descer por sua garganta até o estômago como uma serpente de fogo. Ela fechou os olhos, deixando que o seu corpo absorvesse o espírito daquele homem mau. Agora tinha que se livrar do corpo...". Essa forte essência do universo punk e da literatura gótica — mesclada fortemente ao melancolismo — é a característica mais marcante na escrita do autor, que espelha o medo da mudança, da perda, da saudade e de tudo o que o ser humano mais possa menosprezar e que, quando encurralado, coíbe sua ação. É impossível não citar Edgar Alan Poe. Em Milagre Obscuro o narrador expõe os intrínsecos sentimentos do personagem central, dando ao próprio, um papel de encarcerado a sua própria psicologia. A explicação para o entristecimento surge como notas musicais que, de tão repetidas na sociedade, acabam sendo deixadas de lado. O mundo à parte do personagem reflete a realidade de tantos outros Demitris presos em suas esferas obscuras. O amor em sua figuração nada atraente percorre pelo enredo misturando-se ao ar tétrico da morte, dando a possibilidade do contato com temas como canibalismo e vampirismo, que pela ambiguidade literária, são interpretados também num sentido mais figurativo como no trecho: "A sociedade gera predadores que se alimentam dos mais fracos. É natural", onde a conduta degenerada da sociedade é evidenciada.

O suspense concretizado em determinados momentos também é um ingrediente que deixa a história ainda mais interessante, envolvendo os personagens em situações extremamente desconfortáveis: "De acordo com A Tribuna, a polícia vai investigar a possível ligação das mortes, com uma seita satânica virtual... Iremos verificar com quem essas pessoas falaram, se alguém instigou esses crimes, explicou o delegado...". Ainda, no mesmo trecho, uma evidenciação ao vampirismo, um dos temas predominantes na obra — aqui mostrado como característica de quem, como um vampiro, age com voracidade, sugando, explorando os demais, ou aquele que sente a louca necessidade de beber sangue —, faz com que a trama se torne cada vez mais intrigante: "...Dois deles tinham declarado que estavam mortos, e a mídia especulou se a ressuscitação no necrotério não teria ligação com a suposta seita. A declaração gerou burburinho e um baita debate".

A verdade é que o autor soube usar de maneira inteligente bons ingredientes para a condução do enredo e conseguiu misturá-los de forma coesa. A existência humana, em si, é o foco, e as personagens de Patrick Alex mostram um pouquinho de seus universos obscuros vinculados à práticas ocultas e desejos estranhos guardados no mais intrínseco. Mostram em si, um pouquinho da essência demoníaca que existe em cada um: talvez, dessa forma, chega-se realmente a interpretar a semelhança de tais seres aos humanos. Essa é uma ponte que o autor usa para questionar a fé, a conduta cega e exacerbada dos fanáticos religiosos. Essa indagação é encontrada no próprio Demitri, inserido do lado oposto à doutrina cristã, tornando-se um perfeito argumentador. 

O enredo e sua ambientação seguem o modelo estrangeiro de apresentação e talvez esse, junto às faltas intermediárias na ortografia e revisão da obra, tenham sido os únicos pontos não tão vantajosos em Milagre Obscuro. Alguns comportamentos dos personagens são "americanizados" demais e elementos utilizados no roteiro estampam a tendência da cultura exterior, como as tolerâncias do mundo do bullying e as cenas comuns das escolas americanas e toda a sua conjuntura — da mesma maneira que encontrado em livros de Stephen King —, que apesar de legal, dão um sentido fraco para a obra em relação a criatividade e inovação. Entretanto, não foram falhas que apagaram o brilhantismo do autor e do livro. As temáticas sobre violência familiar, psicológica, religiosidade, bullying, morte, fé, sexualidade e (desespero, ódio e solidão - como diz o autor em suas notas finais), são importantíssimas para uma autoanálise do leitor. Ainda há a forte participação do mote sobre as substâncias alucinógenas, que avolumam a intenção do autor em mostrar a realidade do universo confuso, curioso e infringente dos jovens: "André usava LSD, maconha, a droga toda. Gostava de produtos adulterados e participava ativamente da 'guerra da droga. Viajava de carona com mais de vinte moleques para assistir aos concretos de rock e dar em cima das garotas... Os mortos para a sociedade estavam nos apartamentos escuros. Sentados no meio das salas vazias enquanto cheiravam cocaína...".

Apesar de relatar fortes elos de amizade durante a história, Milagre Obscuro caminhou mesmo pelo lado contrário, desapertando essa esperança do encontro e reforçando o teor do isolamento. É um ponto muito legal e torna a história bem objetiva. O (apreciar) da história depende muito do conjunto de idéias, atitudes e sensações que o leitor observa enquanto folheia as páginas. Diante de um final quase arrebatador e surpreendente, Patrick Alex escreve trechos representativos que provam que o caráter da sociedade afeta a personalidade individual de muitos adolescentes que, por vezes, lutam contra as prisões que ela — sociedade hipócrita — cria para os "mais fracos": "As pessoas me transformaram em um monstro neste mundo de monstros disfarçados. Vocês só me tratam assim porque eu não me escondo".

O Marcas Literárias agradece a querida Mayara Facchini, editora do autor, por acreditar no monte de vomito que ele projetou ao mundo da literatura. Façamos justiça, estimado autor: esse monte de vomito que você próprio mesmo cita, é um ótimo conteúdo, tem a sua importância e merece o seu devido reconhecimento. Parabéns pela composição.

"O preconceito que tanto falam começa na própria instituição e parece que todo mundo tem uma venda nos olhos quando alguém menciona isso. É um berço para o Bullying. É só dar uma olhada na literatura. Ela é o reflexo da sua época".


Sobre o livro

Título: Milagre Obscuro
Autor: Patrick Alex
Estrelas: ✮✮✮✮✮
Gênero: Drama
Páginas: 639
Ano: 2016

Sinopse: Demitri sentiu outro baque na boca do estômago, mas dessa vez, a dor foi insuportável. A falta de ar o fez cambalear para frente. Sentiu duas mãos firmes agarrarem suas roupas. Ele obedeceu a pressão daquilo e foi puxado para trás da multidão. Estava tremendo. Demitri olhou mais uma vez com dor para aquelas feições delicadas e os olhos de safira que sempre o faziam esquecer as palavras. Demitri gritou indignado para os paramédicos que colocavam Selena no asfalto e cobriam o corpo com um plástico preto. Eles precisavam fazer alguma coisa. Não podiam deixá-la morrer. Aquilo não estava certo. Mas, sabia que eles não podiam fazer mais nada, ela estava pálida e os olhos abertos fixos nas estrelas. O aroma de morangos frescos morria naquele plástico encardido. Estava tão abalado física e emocionalmente que não conseguiu chorar. Não ouvia mais nada, tudo não passava de borrões e vultos atordoados ao seu redor. Fitava desolado, aparado por Wesley na calçada, os corpos no chão, pensando que ela estava com ele algumas horas antes. Cobrindo-o com aquele silêncio perturbador, quando ele disse que a amava. Tudo parecia tão errado naquele lugar.

Sobre o autor

Patrick Alex nasceu em Setembro de 1994, desenhista e formado em Publicidade e Propaganda pela Universidade Anhembi Morumbi. Cresceu e vive em São Paulo, onde você dificilmente encontra outra coisa a não ser concreto, poluição e violência. Por isso, passou grande parte da infância dentro de casa entre canetas, folhas de papel e sua estante. Essa época tem sortido grande efeito sobre a vida e a arte. Através de seus textos, tentar encontrar a beleza em tudo, principalmente nas piores coisas.

O livro na Chiado Editora: https://goo.gl/YpGACH
O livro no Skoob: https://goo.gl/WL5VpZ

2 comentários:

  1. O drama existente nesse opúsculo me parece fascinante. Sua resenha instigou-me para lê-lo o quanto antes, amo um drama e, essa obra é uma excelente indicação. Forte abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando ler a obra, volte aqui e nos diga o que achou.

      A realidade deu as mãos à ficção nessa obra, de modo que a coerência literária não ficou de lado. Foi uma leitura ótima.

      Abraço!

      Excluir

Conheça mais sobre o fundador do Marcas Literárias

LIVROS DO AUTOR LUCIANO OTACIANO EM DESTAQUE

#PapoComAmanda: Especial Halloween

Artigos, crônicas, contos, poesias e destaques