Perigosa autenticidade


As pessoas são, de fato, muito diferentes, e embora essa diferença muitas das vezes possa ser extremamente sutil ,elas existem. E, é realmente impressionante e, ao mesmo tempo incrível, a capacidade que grande parte das pessoas possui de encarar as suas sensações e os acontecimentos como possuindo apenas uma exclusiva definição. Explicação essa inabalável, exata e ao mesmo tempo estúpida. Sendo a mesma inquestionável, logo torna-se cega. Se olharmos com precisão, sem qualquer fio de desconfiança, que é capaz de classificar com precisão e rapidamente o que quer que seja. E o que isso nos traz de benefício? Podemos citar alguns exemplos como a insensibilidade a ausência de desespero, a falta de incertezas, a limitação das impressões. Dizem que a primeira impressão é a que fica, contudo será que é realmente verdadeira?

Se nos atentarmos poderemos ver com clareza a completa ausência de imagens que se situem para além de um mundo conceitual definido e bem limitado. Todas essas características, que acabam por pulverizar, a partir da raiz, a possibilidade do surgimento de memórias e impressões, em um primeiro instante que acabam por trazer dor, sempre acompanhadas, infelizmente, da necessidade de uma proteção em excesso, da iminência de desconstrução, de desmerecimento e da destruição, de qualquer coisa que se situe para além dos conceitos limitados e padronizados de uma sociedade hipócrita. Acabam por ameaçar a integridade e a manutenção desses conceitos limitantes. O interessante a se notar é que, por mais que ser uma pessoa assim limitada faça bem, podemos perceber facilmente o quanto pode ser doloroso termos de conviver com tais indivíduos. Para esses mesmos indivíduos e seus conceitos limitados, impensados e extremamente preconceituosos, são as mais precisas explicações das coisas, são as mais precisas classificações das pessoas com as quais convivem. E se não bastasse, temos de ouvir construções conceituais incoerentes que não se aproximam nem um pouco da nossa realidade complexa e altamente mutável.

Ainda temos de concordar, estimular e não podemos, em hipótese alguma, incitar qualquer tipo de perspectiva que seja discrepante, que possa ameaçar tais construções capciosas; notamos que essa última prescrição é indispensável, afinal, a manutenção de conceitos é questão de matar ou morrer para grande parte das pessoas, chegando até mesmo, a ser questão de além vida, questão essa referente a uma eternidade distante e jamais verificável. Perceba que a importância imprescindível que possui a manutenção de parâmetros e suas explicações específicas e exatas, transforma qualquer pessoa, ou coisa, que os ameace, em um inimigo mortífero. O mesmo deve ser aniquilado a todo custo, sem piedade.

A verdade é que cada vez mais nós nos vestimos com a carapaça da intolerância e a máscara da falsidade, a mesma que venda nossos olhos, impedindo-nos de vermos com clareza o que todo mundo faz questão de esconder. Nesse caso, esse tipo comum, limitado e fragilizado irá desprezar, odiar qualquer pessoa ou coisa, ao menor sinal de discordância a suas impressões exatas, mesmo sendo esses sinais completamente inocentes ou, o que é ainda pior, totalmente inexistentes e criados apenas na mente daqueles que se defendem em excesso. Vendo-nos obrigados a aceitar e valorizar interpretações mais esdrúxulas, mais impensadas, incoerentes e capciosas, se quisermos manter uma existência onde não somos odiados e desprezados por todos. Aí sentimos a rejeição, ou até mesmo entramos em um estado de total desespero perante conceitos que possuem pouca ou nenhuma relação com as verdadeiras consequências de nossos atos. Saiba que, a sua verdade não é a minha e tampouco de mais de cem milhões de habitantes que vivem em nosso país.

Devemos nos colocar no lugar do outro, somente desta maneira poderemos compreender se a verdade oculta de alguém é a mesma que a nossa, e, então distinguir a dúvida da certeza. O engraçado é que toda verdade é ilusória, quando a encontramos, custa-nos acreditarmos que de fato a verdade é aquela que tanto procurávamos. Parece contraditório, mas na verdade, a verdade não o é. A mesma torna-se contraditória por nossa ignorância.

8 comentários:

  1. Observo três aspectos muito importantes no seu artigo, Luciano. A começar pelo título, bem sugestivo, e que remete a pessoa a uma dupla reflexão quando imagina a necessidade de ser ter uma autenticidade em si, mas, ao mesmo tempo, não saber lhe dar com o fato das diferenças, deixando dessa forma, um confronto perigoso em sua procura. No momento em que você inicia o texto, apontando a estupidez desse confronto em relação a aceitação das diferencias. Para finalizar, escreve sobre a oculta verdade e a interpretação sobre a verdade e a mentira. Simplesmente, ótimo.

    Forte abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bem por aí mesmo Leonardo. Sua capacidade de interpretação é fantástica. Valeu e um abraço para ti.

      Excluir
  2. Como sempre: ótimo texto, Luciano!
    Você sempre me faz pensar, refletir e pensar na vida.
    Continue escrevendo sempre, por favor.

    Beijooos

    www.casosacasoselivros.com
    www.livrosdateca.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bom saber que tu gostas de meus escritos, Teca. Obrigado pelo carinho e apoio de vocês. Beijos!

      Excluir
  3. Olá, Luciano.
    Adoro ler seus textos, sempre impecáveis e com um incrível poder de reflexão.
    Te admiro!
    Abraço,
    https://teattimee.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo carinho e admiração Loysla! Abraço

      Excluir
  4. Está perfeito! Como consegue me fazer refletir tanto?
    Você escreve muito bem, é maravilhoso! Parabéns, não sei como consegue escrever tão bem e temas tão questionáveis. Não pare nunca de escrever, estou virando dependente já haha
    Um Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo carinho Melissa. Saiba que, tu escreves muito bem também. E, futuramente espero um livro escrito por ti. Beijo!

      Excluir

Conheça mais sobre o fundador do Marcas Literárias

LIVROS DO AUTOR LUCIANO OTACIANO EM DESTAQUE

#PapoComAmanda: Especial Halloween

Artigos, crônicas, contos, poesias e destaques