Criatura melancólica no Cosmos

 
 
Existem muitos tipos de pessoas, que somos, na maioria das vezes, obrigados a conviver, mesmo contra nosso querer. Porque o nosso querer não nos permite querer ter poder em querer não querê-lo. E, em certas ocasiões a vontade que sentimos é de dar um basta em uma sociedade cada vez mais hipócrita. Não é de se estranhar que o mundo esteja como está. Eu sou um exemplo, em existência, disso. Por ser um ser extremamente melancólico, tímido e também introvertido não consigo fingir em momentos de extremo desconforto com os que comigo tenham que, por vezes, se relacionar. Um ser totalmente voltado para as questões existenciais e não existenciais do planeta onde vivemos.  Sou comumente provado, dia após dias. A sociedade hipócrita espera de mim algo que, nunca poderei dar em minha sã consciência. Eu sei que existe uma dose cavalar em silêncios indigestos nas relações mais íntimas e, se não bastasse, sou praticamente forçado a fingir aquilo que não sou. Sei que nem tudo são flores, gostaria muito que fossem, mas não são e nunca serão. E não basta que o Sol brilhe num céu sem nuvens ou nublado e que eu tenha um simples copo de aguardente em minhas calejadas mãos para a vida se reverter em pura felicidade. A vida não funciona dessa maneira e, nunca funcionará. Eu sei que no fundo muitos se enganam e se escondem atrás de incontáveis máscaras da tão falada, porém real, quase palpável, falsa felicidade. Sei porque aprendi com os tombos que levei da própria vida e sou grato a ela por mostrar-me o caminho das pedras. Sei que a natureza humana é falha e que por mais que a gente realize nossos objetivos, nossos sonhos, sempre existirá um gigantesco buraco negro dentro de nós. Esse vazio é tão profundo e impalpável que se não tivermos consciência de que ele existe e sempre existirá, poderá nos levar a loucura.


Estou sabido de que vivemos numa Era em que, ser feliz virou obrigação. É como ser feliz fosse simples, fácil. Ser feliz pode até ser simples, como de fato é, mas nunca será fácil. Querem me fazer crer que seja algo automático. Bastasse eu querer ser feliz e pronto. Feito! É como se apertasse a tecla de um moderníssimo Smartphone e se tornasse feliz. Contudo, não é fácil assim. A sociedade insiste em nos fazer felizes à força. É algo inacreditável e assustador, para não dizer esdrúxulo. Sei que podemos sim, lutar para obter um tipo profundo e plácido de felicidade por meio do ato do autoconhecimento e da construção de uma vida com mais liberdade para se optar por aquilo que nós realmente queremos. Devemos buscar uma vida mais autêntica, menos protocolar. Deve-se jogar luz e encantamento sobre as pequenas conquistas diárias, pois é nelas que devemos nos agarrar como se não houvesse o amanhã. Até porque o amanhã é completamente incerto.


De fato as relações entre as pessoas são complicadas e, nós a complicamos mais ainda. A vida é difícil e ardilosa. Mas também pode ser muito prazerosa se soubermos colocar as pessoas à frente do dinheiro e agir com total autonomia. Na verdade, são realizações grandiosas que poucos conseguem conquistar. Infelizmente é assim que ocorre conosco. Sei que pensamento positivo ajuda e, sempre ajudará, mas não resolve tudo. Não se pode viver somente de pensar positivamente. Pois quando a adversidade bater à porta, perderás sua fé. Se é que já não perdeu não é mesmo? Sei que nem tudo pode ser esquecido e superado, mesmo que queiramos a todo custo. Sei que existem certas feridas que até secam com o tempo, mas deixam cicatrizes execráveis na alma. E, sendo assim não podemos ignorá-las e, sim aceitá-las. Por mais dor que possa nos causar. Sei que até no simples momento mais prazeroso de minha existência, tem o seu lado sofrido, Pois o sofrimento faz parte de nós. Eu costumo dizer que, se não sofrêssemos não seríamos humanos e sim, deuses, pois somente aos deuses o sofrimento não fora permitido sentir. Sei que a vida é um eterno caos. Um caos de encontros desastrosos entre pessoas diferentes, de realidades opostas. São almas que buscam incessantemente a alegria do ser as levando a explorarem o desconhecido. Mas a vida é também reveladora, a mesma nos revela momentos únicos, que somente quem vive verdadeiramente poderá senti-la. Sei que por melhor que seja a alegria, entendo racionalmente que ela é efêmera. Tão passageira como dia que vem e vai e assim o ciclo da vida continua. E que possamos usufruir mais da companhia das pessoas que amamos e que nos amam verdadeiramente, não com máscaras, porque o que vem depois cabe ao Universo revelar a cada um de nós, se somos de fato merecedores da felicidade que tanto almejamos. Não se preocupe se a sua tardar, pois a mesma virá no momento certo e então poderemos ser unos com macro e microcosmo, nos levando a plenitude do ser.

8 comentários:

  1. De fato, uma inteligente e plausível reflexão.
    Ótimo!

    ResponderExcluir
  2. Oi, Luciano!
    Obrigada pela visita que você fez ao Algumas Observações. De antemão, já deixo o convite para voltar mais vezes.
    Quanto ao seu texto, entendo o seu ponto de vista, mas sou uma otimista de carteirinha, então acho que sempre dá para melhorar (na vida e nos rumos da humanidade).

    Beijos,

    Algumas Observações

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fernanda! Agradeço a sua visita ao blog. Certamente visitarei seu blog mais vezes, pois gostei do conteúdo. Que bom que tu sejas uma otimista de carteirinha, pena que não consigo ser tão otimista, principalmente em certas questões que a sociedade num todo tenta nos impor a todo custo. Abraço!

      Excluir
  3. Nossa adorei, muito profundo. Espero que o Universo reserve esta felicidade para mim quando tiver que ser.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espere sim, querida! Grato pelo seu comentário.Abração!

      Excluir
  4. Que texto incrível Luciano!!!
    Concordo com o que você disse. As pessoas estão muito preocupadas com bens materiais, trabalho etc, que se esquecem que os melhores momentos são os mais simples. Hoje em dia está difícil até mesmo fazer novos amigos já que parece que a maioria das pessoas só procuram companhia nos momentos de precisão. Ser feliz deixou de ser tão importante. As pessoas só querem que o dinheiro esteja na conta no final do mês, e com isso, aceitam de bom grado a falsa sensação de felicidade. Felicidade perdeu seu significado. Eu diria que as pessoas estão cada vez mais alienadas, infelizmente...
    ateoriadaslaranjas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente Vitória, as pessoas estão se tornando androides ou seria aliens! De tão alienadas as mesmas esquecem de ser feliz. Tornando-as criaturas exclusivamente materiais, elas dão um valor exarcebado aos bens que possuem e, esquecem as pessoas. Valeu por deixar seu comentário e um abração.

      Excluir

Conheça mais sobre o fundador do Marcas Literárias

LIVROS DO AUTOR LUCIANO OTACIANO EM DESTAQUE

#PapoComAmanda: Especial Halloween

Artigos, crônicas, contos, poesias e destaques