Emoções guardadas


Por que o Ser humano tem tanta pressa? Uma urgência cega que temos das coisas e de culpa? A maldita culpa por não querer protelar as nossas emoções. E me vem logo o pensamento sobre o amor, quero me ater ao discurso sobre o sempre tão falado amor, ou melhor dizendo, a urgência que todos nós, ou a grande maioria de nós, temos de amar, sem ao menos nos preocuparmos com os julgamentos. Eu já perdi as contas, de quantas vezes amei de forma equivocada, ou seja de maneira errada, então percebi, antes tarde do que nunca. Não é verdade? Estamos muito mal acostumados com os famosos padrões. Padrões esses que muitas das vezes nos ditam o que fazer e o que não fazer. 

Certa vez conheci uma pessoa e logo senti em meu âmago uma vontade descomunal de casar-me com ela. Logo me culpei. Pois desde cedo eu aprendi que mostrar um súbito interesse rapidamente por uma pessoa, me faz perder o respeito do outro, me parecendo ser um ser completamente frágil. Se nos encantamos por uma pessoa no primeiro momento e saímos por aí divulgando o encantamento aos quatro cantos, com um enorme sorriso na cara, somos imediatamente taxados de imaturo, iludido, uma pessoa completamente precipitada. E o engraçado é que é sempre assim; para a grande maioria das pessoas. Um relacionamento duradouro só pode dar certo se um dos dois se faz de difícil. Saiba que teorias não passam de teorias, apenas isso, nada mais. Quando o assunto é o amor a teoria que tanto usamos para quase tudo, não serve para absolutamente nada. A verdade é que eu sou muito impaciente para ficar como todos os outros, esperando na fila, a mesmice que quase sempre todos seguem. Eu não a sigo e provavelmente nunca a seguirei. Talvez por esse motivo não sou de pedir conselhos a quem quer que seja. Se for para quebrar a cara e partir o meu coração em mil pedaços eu o farei. É algo pessoal e só diz respeito a mim.

Temos que sair o mais rápido possível para fora da invisível redoma que acha que felicidade é um mero produto, que se pode ser fabricada, que existe fórmula mágica pronta para usarmos quando bem entendermos. No entanto, sabemos que não é assim. A fórmula da indiferença, do nariz empinado, da cara carrancuda e triste. Isso não funciona e nunca funcionará. Eu simplesmente não consigo entender porque damos tanta importância ao que os outros pensam. Isso é da cultura de nosso país, eu sei. Contudo não consigo entendê-lo. Eu vivi assim durante muitos anos de minha existência. O que realmente me intriga é ver essa seita com milhões de fiéis seguidores., que seguem a risca toda essa baboseira cultural de nosso país. Não são poucas as pessoas que deixam de dizer "eu amo você" porque essa palavra só se pode dizer com o passar do tempo, lembra-se é errado amarmos alguém num primeiro encontro. Esse tipo de coisa, só acontece em filmes. Quanta bobagem! Isso é muito cruel, estamos sufocando, asfixiando a felicidade.

Acredito veemente que temos mais é que dizer as coisas no momento em que estamos sentindo. Sufocar emoção dói pra caramba, não quis usar uma palavrão aqui, mas a palavra inadequada se encaixaria perfeitamente nessa frase. A angústia nos traz um falso ar de ser superior. Preste atenção, eu disse, falso ar de superioridade. Sinceramente deixar de dizer o que se sente não faz ninguém mais forte e superior. A verdade é que não existem argumentos para essa defesa. É tão tola. O grande problema é que pensar assim, sozinho, é bastante complicado. Se o outro não entende e prefere dar valor a quem se faz de difícil a quem deixa o "eu amo você", entalado, preso, como uma fera enjaulada por tempos intermináveis na garganta. É natural que balance, chore, perca as forças e titubeie. Contudo uma coisa é certa; nada pode doer mais do que mentir pra si mesmo. Mentir pra si mesmo é sempre a pior mentira. Essa é sem dúvida uma das piores dores que um ser humano pode sentir. E não é nada fácil suportá-la durante um tempo. Tempo esse que se esvai e você geralmente leva muito tempo para perceber que se foi.

2 comentários:

  1. Mais uma postagem sobre o amor.

    ... E quando a gente pensa que não há mais ângulos para o enxergar, que não há mais horizontes para alcançá-lo, você vem e nos emprega com maestria mais uma vez, novas perspectivas sobre esse sentimentos, sobre esse elemento do qual todos nós, em certos momentos da vida, nos distanciamos ou nos afastamos.

    ... Enquanto isso, muitas das nossas emoções permanecem guardadas...

    Excelente reflexão, altamente instrutiva.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mano, o sentimento supremo e mais perfeito e belo do Universo em sua plenitude é contagiante e avassalador, no entanto machuca e, no machucar do amor vamos vivendo, com o coração ferido, mas com as batidas precisas de um coração forte e sadio pronto para partir em busca da cura. Cura essa, que talvez levamos uma vida inteira para encontrá-lo, se é que é possível encontrar a cura. Abraços!!

      Excluir

Conheça mais sobre o fundador do Marcas Literárias

LIVROS DO AUTOR LUCIANO OTACIANO EM DESTAQUE

#PapoComAmanda: Especial Halloween

Artigos, crônicas, contos, poesias e destaques