'A Troca': o romance às avessas e bem-humorado de Cris Santos


Aí eu te pergunto, você já leu A Troca? Se sim, vai entender do que eu estou falando. Se não, te aconselho a comprar o seu e começar a folhear esse romance às avessas da querida Cris Santos, que me atrevo a dizer, o escreveu com maestria e capricho, nos apresentando personagens marcantes e extremamente verdadeiros. A narrativa em primeira pessoa é uma coisa impressionante; logo o leitor se vê misturado com a história e seus participantes e entende os argumentos da autora, que além de inovar com um pano de fundo interessante e delicioso, mostra ótimos recursos, tanto em relação à parte literária quanto às individualidades pessoais. Pra quem gosta de protagonistas com personalidade forte, resolutos e que marcam presença, vai adorar conhecer Donna. Aliás, o leitor vai encontrar muitos pontos onde os extremos se porfiam. Taylor, uma das tantas figuras que integram essa história no estilo novela, que consegue estimular o leitor, desnudando os sentimentos e caráter dos personagens nos diálogos engraçados e concretos, é um dos pontos importantes para que o percurso da história se desenvolva perfeitamente. Que tal você também conhecer essas sedutoras pessoas e entender a troca?



A Troca, livro 1 / Cris Santos / 274 páginas / 2015 / Romance / COMPRAR


Taylor é um ator cobiçado por mulheres do mundo todo. Até vir ao Brasil! 
No encontro com as suas fãs, uma surpresa: Claire Carter! 
Arredia, impaciente, linda. Claire era a fã menos apaixonada daquele salão. 
Ela começa a roubar toda a atenção do ator. Ele esquece das que o amam e 
olha observa a garota de atitude distante, fria. Ele nem imagina que a sua vida mudará completamente naquele dia. Ele nem imagina que, ao procurá-la, descobre o segredo mais surpreendente e inusitado da sua vida. 
"A Troca" é uma comédia romântica atípica. Onde a mocinha quer distância do seu príncipe encantado. 
Divirtam-se, riam e escolham o seu lado no time dos oponentes mais lindos e briguentos de todos os tempos.



O humor é um dos melhores ingredientes em A Troca. Alguns imaginam que a história seja bem apimentada, mas Cris nos ataca de surpresa e nos envolve num conjunto diferente, bem mais jovial e cômico, num geral. Os imprevistos envolvendo as personagens, as sinucas de bico e todas as ações posteriores a estas ocasiões são, simplesmente, magnéticas. As gêmeas Donna e Claire e o todo charmosão Taylor representam figuras antagônicas que proporcionam um legítimo embate 'poético exaltado', aflorando a curiosidade do leitor, deixando-o de cabelos em pé durante a história. Não desmereço nenhuma das personagens inspiradas por Cris, mas Donna é um espetáculo de personalidade! O ego dessa mulher é intenso demais. Em outras histórias que trazem enredos parecidos, essa exterioridade, às vezes, é camuflada pelo/a autor/autora, que não deixa os leitores verem a verdadeira essência de suas amadas criações. Nesse caso é diferente. Desde o início o leitor já enfrenta Donna em suas primeiras falas e cria a ideia exata do que virá pela frente: ''Virei para o corredor, de onde a voz do meu irmão vinha alta... — Caio, vamos. Cacete!''. Quando o leitor entende a troca, aí sim ele já se vê envolvido por toda a originalidade das gêmeas. Lembro que Claire, mesmo não sendo tão acentuada quanto Donna, tem a sua importância incontestável e decisiva para o enredo, que não sairia do lugar sem um certo pedido da jovem à irmã.

Alguns trechos contam com uma realidade extremada e joga com os problemas que temos que enfrentar na vida; a coragem para se tomar decisões, não somente em situações amorosas mas também para àquelas mais complicadas e tão importantes no cenário familiar. Cris soube interligar fatos e episódios intrigantes, cada um em seu momento oportuno, tornando a comédia, além de divertida, um tanto desafiadora, realista e recurvada ao relacionamento familiar também. Essa dinâmica no enredo torna o seu entendimento mais fácil e a sua leitura muito mais gostosa. A autora mostrou habilidade para conquistar, assim como os seus personagens, o público leitor e apreciador de bons romances e embates de pessoalidades e opiniões.

''Meu discurso foi interrompido. Taylor segurou meu rosto com as duas mãos e sua língua tentou invadir meus lábios cerrados. Sua boca engoliu a minha em uma urgência assustadora. Eu estava presa e muito, muito brava!... — Você só me beija se eu permitir, canalha!''

É possível, ainda, observar os trejeitos dos protagonistas e trajar os padrões das individualidades na sociedade. Cris dá um show quando apresenta os participantes de A Troca com tanto realismo, saturado com defeitos e qualidades, como na vida real. A nossa querida protagonista, por exemplo, se intitula no enredo como a gêmea má e isso deixa a história mais atraente quando pensamos que, em nosso cotidiano, os mocinhos e mocinhas não são vestidos sempre com àquelas características bobas, similares e sem vida, afinal, isso já é mais do que um velho clichê.

A petulância de Donna é motivo para bons risos, ela é, sem dúvida, uma personagem para marcar. Cris soube apresentá-la da melhor maneira para os seus leitores, sem acobertar suas imperfeições. Aliás, essa é a jogada do livro: fazer com que o leitor encare um enredo onde a mocinha (às avessas) quer distância do seu príncipe encantado. Esse jogo entre caça e caçador faz o leitor se divertir, tudo é bem viciante. Os capítulos do livro não são curtos, mas logo se vão... a leitura surpreendente faz com que o seu processo se torne tranquilo e rápido.

''Você é linda por dentro e por fora. Seu coração mal cabe no peito. Taylor viu isso. Não sei como, com você aprontando como aprontou, humilhando, expondo-o tanto, mas ele viu!''

Bom, mesmo mostrando uma premissa que apresenta fundamentos de modelo um tanto batido, com ares de chavão, A Troca é um ótimo livro e garante ao leitor bons momentos. Cris Santos está de parabéns pela maravilhosa obra e controle no desenvolvimento. O livro é uma trilogia e, por experiência como leitor, desejo boa sorte à autora nos próximos volumes. Tomara que Cris não perca o foco na continuidade da trilogia, como acontece comumente com outros autores, por isso, espero que ela continue usando suas habilidades literárias e tenha muita cautela. Em outras palavras, nos surpreenda novamente, Cris!!! Aliás, o volume dois já pode ser comprado na Amazon clicando aqui e já tem uma ótima aceitação dos leitores. Que bom! Ah, e pra terminar, ''- Donna, nós... sabemos que cacete não é palavrão.'' #TeamDonna, querida Cris Santos.

9 comentários:

  1. Que texto!!
    Léo de Deus, eu amei minha história vista por seu prisma. Tenho tido tanta sorte, tenho tido tão boa aceitação.Obrigada! Sem palavras.
    Team Donna forever !!!
    Um abraço.
    Cris Santos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cris, antes de tudo, novamente os meus parabéns pelo capricho em sua obra.

      Fico grato por seu elogio quanto ao artigo e costumo dizer que belas obras dão ao blogueiro/redator a possibilidade de escrever um texto belo.

      A Troca é uma trilogia que farei questão de ler a continuação, sem dúvida.

      Abraços querida autora e obrigado pela visita ao site. Volte sempre.

      😀

      Excluir
  2. Que resenha Leonardo! Muito bem elaborada, eu fiquei muito curioso em conhecer Donna e, os demais personagens dessa obra. Pela sua análise o livro deve ser maravilhoso, terei de lê-lo. Quero deixar aqui os meus parabêns à autora, não é nada fácil ter uma aceitação tão boa, de um público cada vez mais exigente. Forte abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Luciano,

      Obrigado pela visita novamente. Realmente hoje em dia, com o público cada vez mais exigente, é difícil mostrar o nosso talento. Mas Cris é fantástica, de verdade.

      Quando ler, diga o que achou.

      Abraço.

      Excluir
  3. Gente, toda a minha admiração a pessoa do Léo, pois com belas palavras nos apresentou "A Troca" de forma belíssima, que digo sem reserva alguma, ler tuas resenhas é como parar para um bom papo com um amigo, mas não é qualquer papo, é um papo de quem sabe extrair do texto a essência que há.

    O livro é realmente viciante, nos prende, onde o leitor se envolve e acaba por tomar partido.. Será o Taylor? Será a Donna? Isso é muito interessante, pois vivemos em um mundo cheio de conveniências e interesses, e a Cris rasgou certas máscaras capaz de nos fazer pensar.Será que vale à pena nos rendermos a uma relação do qual nos tornamos objeto simplesmente para agradar aos caprichos de outros? E Donna chegou dando um tapa na cara da sociedade e isso a torna um personagem marcante.Team Donna! 👏


    E sim, espero que a autora continue nos encantando, pois escrever uma trilogia não é fácil, pois poucos conseguem manter os leitores contagiados com a continuação.

    À você Leonardo, toda a minha admiração 💚❤

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela presença e comentário, querida Geh!

      Donna chegou dando um tapa na cara da sociedade, e isso é ótimo!!! Gosto de pessoas assim.

      Compartilhamos, então, do mesmo sentimento.

      Beijos.

      Excluir
  4. Léo preciso ler este livro e olha que eu tenho ele.Depois de ler esta resenha me apaixonei. Vou ler logo.Parabéns e beijos!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luciana, oi!!
      Espero que leia, ficaria honrada. E espero suas considerações. :D
      Léo foi muito simpático.
      Um abraço,
      Cris Santos

      Excluir
    2. Oi Luh, eia sim minha querida, a Cris me surpreendeu de forma ótima, deixe que a história te traga isso tudo citado na resenha. Você vai adorar.

      Beijos.

      Excluir

Conheça mais sobre o fundador do Marcas Literárias

LIVROS DO AUTOR LUCIANO OTACIANO EM DESTAQUE

#PapoComAmanda: Especial Halloween

Artigos, crônicas, contos, poesias e destaques