Uma verdadeira luta contra a desigualdade apresentada por Jason Wallace

''Não se pode governar pela minoria discriminar a maioria, menos ainda num país que, em primeiro lugar, nem é seu. É um uso do poder injusto, moralmente distorcido, totalmente errado. Como eu disse, o poder é uma coisa perigosa, maléfica. Ele... corrompe. Ele toma conta das pessoas e as transforma.'' - Fora das Sombras, Jason Wallace


O livro 'Fora das Sombras', escrito pelo britânico Jason Wallace, é mais um livro incrível e de conteúdo extremamente importante para o enriquecimento do conhecimento do leitor. A leitura não se estende por longas horas mas faz o leitor refletir sobre a desigualdade no mundo por longos e longos minutos. Aqui, as personagens, diretas e indiretas, — expostas ao leitor de forma brilhante e trazidas pelo autor de maneira incrivelmente palpável — transmitem suas lições de vida, suas singularidades e seus problemas cotidianos em meio a um cenário devastado pela da falta de humanidade das Nações. Um cenário pós-guerra — ou não, visto que a guerra em si, em países da África, infelizmente em muitos casos, iniciasse entre os próprios africanos que criam seus privativos preconceitos —, que exibe em meros meninos que iniciam suas fases de passagem da adolescência para a vida adulta, os reflexos tortuosos e cruéis de ideologias devastadoras para a raça humana. A abrangência do conteúdo do livro é enorme e não se limita apenas aos assuntos históricos narrados no Zimbábue, mas dilata-se também à esfera dos comportamentos e reflexos sociais do país até os dias atuais. Um enredo escrito com perfeição e de maneira atraente, porém arrebatadora, que leva o leitor a se envolver e descobrir a essência da amizade e também da crueldade do ser humano.



Fora das sombras / Jason Wallace / 308 páginas / 2012 / Romance / COMPRAR

Zimbábue, 1980. Após anos de guerra pela independência, Robert Mugabe assume o poder prometendo esperança e liberdade. Contudo, uma parte da população não está satisfeita com essas mudanças e pretende lutar para voltar ao passado. No meio desse turbilhão encontra-se o menino Robert Jacklin, inglês branco de treze anos, que tenta se adaptar à nova realidade. A intenção inicial, segundo o autor, era focar na vida escolar do personagem principal. Mas, o contexto político começou a ganhar tamanha importância que ficou impossível deixá-lo de fora. Com a eleição de Mugabe, a população negra teve, enfim, esperança de que a paz reinasse. O problema é que os brancos queriam seu antigo país de volta, não o novo governo negro. E, para muitos, ainda há uma última luta a ser travada.



O teor político da narrativa que se expande por todo o enredo libertador é o diferencial desse romance de estreia do autor. A essência infanto juvenil marcante e confortante é o que suaviza todos os momentos desumanos citados durante a história. O autor não polpou em usar sua inteligência para coroar personagens ilustres, alguns ainda mais do que o próprio protagonista, jovem inglês, branco, tímido, inocente mas inflexível até demais, Robert Jacklin. Aos treze anos, o rapaz inicia a sua jornada contraditória num país em que Robert Mugabe, figura política negra que passava a centralizar o poder no país obtendo cada vez mais autoridade, tornando-se a cada passo um grande homem capaz de lutar contra o governo de minoria branca no país, era esperança para os africanos. O sentido verdadeiro da obra é encontrado logo nas primeiras páginas, quando o leitor se depara com as más influências da nova vida do jovem inglês, podendo comparar e defrontar as maldades no âmbito escolar com a mais lancinante ideologia presa nos novos amigos. Em certos pontos, o livro relata, sem piedade, a intensidade da perversidade humana, refletidos nos traumas, desalentos e conflitos ocasionados por uma guerra.

''A GUERRA NÃO FOI PERDIDA... chegou a um impasse, e, se nos tivessem permitido aguentar um pouco mais, os negros teriam lutado uns contra os outros até se matarem e ainda teríamos uma nação de alguma importância... ''

O leitor encontra facilmente o objetivo do livro, estampado em cada capítulo e sustentado de modo forte pelo autor. A realidade transmitida em cada momento provoca arrepios e faz desajeitar-se por completo a cada desfecho. Então, muitos perguntarão o motivo de um livro com essa temática ser virtuosamente importante quando, na verdade, expõe em maioria as derrotas, tristezas e todo o sofrimento de um país e de pessoas extremamente desencontradasdesajustadas, desacertadas, incompatíveis, perdidas... realmente perdidas. Entretanto, por mais que todo esse lado sombrio que guarda posturas ocultas de muitas personagens esquecidas prevaleça acesa por tanto tempo, a esperança — mesmo em estado invariável e quase desvanecida — ainda faz parte do instinto de alguns,  isso é a grande motivação. As experiências, como a falta de retratação dos pais — cabeças da estrutura familiar —, que em todo o processo de desenvolvimento da história se fez um ponto base, demonstra um contexto que inicia o desarranjo motivacional social e privado. A luta pela igualdade, que por muito se faz presente, mostra mais uma vez que, desde cedo, é imprescindível a determinação para o alcance do sonho. De outro lado, a ausência de equilíbrio a desigualdade —, nesta obra apaixonante, não é mostrada apenas num contorno racial e social, porém, muito além disso, abeirando o próprio lado psicológico, de formação intelectual. 

''A primeira regra da natureza é a desigualdade.''

Como dito por Markus Zusak, além de corajoso e devastador, 'Fora das Sombras' é mais do que memorável. A escrita ritmada, precisa e detalhista, trazendo a tona semelhanças na forma narrativa a de talentosos autores mundiais como Stephen King, torna-se abrasadora a cada novo parágrafo. É um livro que certamente estará nas lembranças de meus futuros setenta anos de leitura. Irremediável sensação após a leitura, como um leitor ensandecido, louco por Zimbábue, entristecido por Ivan Hascott e esperançoso com Jacklin. Fora das Sombras representa muito mais do que uma simples luta política, é a tentativa do enterro de um passado do qual, às vezes, é impossível deixar de se lembrar. 

O preço de venda deste exemplar é de R$ 48,00, mas pra quem gosta de promoção, o livro está sendo vendido por R$ 9,90 no site da Fnac Brasil. Aproveite!

8 comentários:

  1. Resenha espetacular! No ano passado esse foi o melhor livro histórico que eu li. A cada página lida, adquire-se mais conhecimento e ao terminar a leitura do mesmo, o seu intelecto agradece. É um livro fabuloso em todos os sentidos caro Leonardo e, lendo a tua resenha, percebe-se que tu ficaste extasiado com a leitura dessa obra prima da literatura mundial. Muito legal o livro custa 10 reais na fnac Brasil, tá praticamente de graça e, pela qualidade do mesmo vale aproveitar a promoção. Abração!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Luciano, o livro me deixou realmente muito empolgado e satisfeito.

      Abraço.

      Excluir
  2. Que resenha show! Que livro interessante! E sim penso que um livro com essa temática é de extrema importância, pois retrata o que de fato é real, sofrimento de quem de quem quer ser inserido numa sociedade onde o ter e ser se tornam alvo de tantas descriminação,e desarranjo sociais. Mas essa luta nada mais é do que a busca em prol da sobrevivência. Você nos apresentou o livro muito bem moço, me vi numa aula de História. Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Geh, o livro tem muito a acrescentar, o conteúdo é maravilhoso.

      Beijos.

      Excluir
  3. Nossa, que livro intenso!
    Confesso, não é o meu tipo preferido de leitura e acho que pelo tema preciso estar preparada psicologicamente - porque choro com tudo - mas com certeza eu leria para sair da minha zona de conforto, ainda mais com tantos elogios.
    Eu não conhecia a leitura.

    Beijooos

    www.casosacasoselivros.com
    www.livrosdateca.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Teca, querida, prazer em recebê-la novamente.

      Obrigado por nos acompanhar, sua presença e opinião são sempre importantes.

      O livro é realmente muito intenso e te indico, talvez, sair da sua zona de conforto, às vezes, seja necessário, só assim a gente acaba redescobrindo o mundo a nossa volta.

      Beijos.

      Excluir
  4. Resenha perfeita.Livro muito triste mas totalmente importante meche com o emocional fazendo refletir. Vidas de pessoas inocentes destruídas pela política.Sem palavras com que sinto com tantas guerras.
    Parabéns pela resenha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Luh, obrigado por voltar a nós acompanhar, é muito bom te ver por aqui com frequência, como antes.

      Sei que você é uma leitora voraz e que se arrisca por vários gêneros. Nesse caso, não haverá problema algum você enfrentar essa política desajustada da história do Zimbábue e conhecer esses intrigantes e cativantes personagens. Quando puder, leia.

      Beijos.

      Excluir

Conheça mais sobre o fundador do Marcas Literárias

LIVROS DO AUTOR LUCIANO OTACIANO EM DESTAQUE

#PapoComAmanda: Especial Halloween

Artigos, crônicas, contos, poesias e destaques