Os deuses e o amor


Você conhece o mito do amor e dos deuses? O dito deus do amor, diz a lenda, que ele próprio foi  atingido por uma de suas flechas e se apaixonou por uma mortal. E nós vivemos amando, nos apaixonando por quem não deveríamos. Será que estamos fadados a sofrermos eternamente por alguém que não está nem aí para nós? Mas não é difícil para o próprio deus do amor ser tomado de assalto pelo estar apaixonado, simplesmente porque faz parte de sua natureza, assim como nós. Estamos fadados a isso e não há como escapar. É simplesmente impossível para qualquer Ser humano, no entanto, quando um simples mortal de repente é ferido no coração pela flecha fatal e se apaixona, então o caso se torna mais sério. Alguns estudiosos dizem que Psiquê foi o primeiro ser mortal que chegou a ver um deus em todo o seu esplendor e glória, e viveu para nos contar a experiência que vivera. Tá aí o cerne de nossa história; uma simples mortal que se apaixona por um deus e consegue manter-se leal à sua condição humana e, ao mesmo tempo, é fiel a seu amor. O grande final sublime do mito é consequência dessa lealdade a si própria e ao amor. Imagine que, por qualquer motivo, a humanidade haja desaparecido da face da Terra, menos você e outra pessoa do sexo oposto ao seu. E, você vai tentar se aproximar dessa tal pessoa, ao longo de sua existência. Sinta o quanto ela significa para você, dada as circunstâncias. Essa sensação nem pode ser comparada a do "mexer o caldo de milho do amor", que é durável , que consegue manter a estabilidade de um lar em ordem.

Se há algum tempo atrás, alguém tivesse me dito que um dia eu estaria equiparando amor a estabilidade, certamente eu ficaria boquiaberto. Mas suponho que tal mudança seja própria da maturidade adquirida com o tempo e vivência que trago consigo a sabedoria. Tanto Psiquê quanto Eros tiveram seus corações flechados pela flecha mágica com o tempero mágico chamado amor e, instantaneamente, foram transportados ao estado do estar apaixonado. Na sequência, milagres e, inevitavelmente, muito sofrimento. Psiquê é banida de seu reino e Eros voa de volta para sua mãe, cheio de dor.

A experiência do apaixonar-se consegue mesmo acabar com a tranquilidade, mas de outra parte, cria uma energia extremamente forte que vai gerar evolução. Nos tempos mais antigos e remotos de uma humanidade arcaica e ignorante, a experiência de ser tocado pelos deuses tinha lugar no contexto religioso. Nós, os modernos, relegamos a religião a um simples plano secundário em nossas vidas. Hoje, raramente ouvimos alguém contar que foi profundamente atingido por um êxtase  místico religioso. A Religião fora esfriada na nossa cultura ocidental. Mesmo as pessoas que ainda se agarram feito centopeias que não desgrudam de sua presa, até devorá-las por completo, às formas tradicionais religiosas, quase nunca são movidas ou alimentadas intensamente por elas. Não mais são sacudidas por intensas sensações dentro de sua própria vida espiritual. Eu temo profundamente que a sensação profunda da visão interior do esplendor e da grandiosidade de um deus esteja sendo substituída, confundida com um mero "apaixonar-se", uma noção peculiar entre nós do ocidente.

Me parece que a única forma de as pessoas comuns serem atingidas pelos deuses, nos nossos dias, é por intermédio do romance. Apaixonar-se é a experiência de olhar através daquela pessoa em particular e ver o deus ou a deusa que está nela. Não é a toa que nos tornamos cegos, surdos e mudos instantaneamente quando nos apaixonamos. E, pra falar a verdade, acho que não existe coisa melhor do que estar apaixonado. Não é verdade!? É bom demais! Pena que hoje em dia, grande parte das pessoas estão ocupadas demais para isso.

4 comentários:

  1. Este artigo é de suma importância, e a maneira como você escreve, lembra exatamente os bons e experientes literatos que dominam com perfeição as técnicas de transmissão de ideias.

    Novamente, parabéns pela composição. Adoro mitologia, e suas equiparações ficaram perfeitas. Quando você diz ''a única forma de as pessoas comuns serem atingidas pelos deuses, nos nossos dias, é por intermédio do romance'' está e priminho com veracidade a realidade.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Respostas
    1. Oi, Luciana. Que bom que você tenha gostado do texto. Abração!!

      Excluir

Conheça mais sobre o fundador do Marcas Literárias

LIVROS DO AUTOR LUCIANO OTACIANO EM DESTAQUE

#PapoComAmanda: Especial Halloween

Artigos, crônicas, contos, poesias e destaques