Imposturice


Por que será que muitos de nós queremos ser o que não somos? Temos a errônea tendência de copiar o outro, sabemos que essa atitude vai totalmente ao contrário a nós mesmos. Seres humanos têm a incrível capacidade de querer coisas, muitas das vezes inalcançáveis. É claro que temos que sonhar e ir em busca dos nossos sonhos. É muito saudável agir assim, até porque se não sonhamos, de que adianta viver?


Por que queremos ser o que não somos? Temos que viver e aceitar exatamente o jeito que somos, com nossas qualidades e nossos defeitos. Se uma pessoa é extremamente falante e extrovertida, às vezes é até inconveniente em certas situações. Daí a pessoa quer logo mudar o seu próprio jeito de ser, para agradar a sociedade. Ora, se a pessoa é assim ela tem de ser assim e não assado. Não adianta mudar e, é até difícil mudar. Eu mesmo sou uma pessoa extremamente tímida e introvertida ao extremo, se eu fosse dar ouvidos ao que os outros falam e ao que a sociedade quer que eu seja, simplesmente não iria adiantar. Eu e nem ninguém podemos ir na contramão do que se é na essência. O conselho que dou é: aceite-se e ame-se em primeiro lugar; goste de si mesmo, exatamente do jeito que você é. Cada um é um ser único, cada ser humano tem a sua própria singularidade e é exatamente por isso que somos seres humanos, a obra perfeita de todo o Universo. Querer ser igual ao outro somente nos levará a infelicidade. É claro que podemos e até devemos melhorar sempre; a busca pelo melhoramento físico, mental e espiritual de nossas vidas é essencial, para podermos viver bem e alcançarmos a felicidade. No entanto o que eu vejo atualmente é que muitas pessoas confundem melhorar a si próprio com mudar completamente a maneira de ser. Daí nasce a hipocrisia. Certamente não é todo dia em que o Sol brilha, existirá momentos em que nossas vidas ficará nebulosa e é nesses dias em que a hipocrisia dá as caras.


Para a sociedade temos de estar sempre de bem com a vida e, sorrindo, às vezes sem querer sorrir. Ora! Se eu estou puto da vida naquele dia especificamente, eu tenho todo o direito de não sorrir e ser simpático com alguém. É claro que não é porque eu estou em um dia ruim que eu irei maltratar as pessoas ou animais, contudo não tenho obrigação nenhuma de mostrar que eu estou bem, sendo que não estou.


O ciclo vicioso que esse comportamento cria é que, agindo dessa maneira, a pessoa torna-se completamente falsa, não só com os outros, mas com ela mesmo.  Temos de ser verdadeiros sempre, seja nos bons momentos e, principalmente, nos momentos ruins. Reparem em uma situação que acontece corriqueiramente em nossas vidas e geralmente poucos a percebem de fato. A maioria das pessoas procuram Deus somente quando estão na pior. Quando tudo parece estar perdido as pessoas logo procuram Deus, se apegam cegamente na fé e religião que acreditam para que Ele, o poderoso Deus, os aliviem e os livrem de todo o mal e sofrimento. No entanto, quando a vida caminha em um maravilhoso "mar de rosas" as pessoas simplesmente o ignora. É como se Deus nem existisse para àquele que Nele acredita. É realmente lamentável essa situação. Se a pessoa é religiosa, acredita verdadeiramente na existência de Deus, por que então não o procura quando a vida está bem? Acredito que nem o próprio Deus aprove tal atitude de alguns seres humanos. O certo é que, devemos procurar Deus sempre; seja nos maus momentos e principalmente nos bons, onde a maioria de nós o viramos as costas e ainda dizemos de forma hipócrita, que acreditamos Nele.

6 comentários:

  1. Essa é uma grande realidade, Luciano. Excelente texto com uma reflexão tão necessária em nossos dias. Se essa realidade nos permeia há tempos, muito mais agora com o "advento" das redes sociais, onde as pessoas se escondem por trás de perfis que não são 10% do que elas realmente são, de fato. Triste realidade. Suas dicas nesse texto são muito válidas.

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. Olá Ad! Que bom que você gostou. É verdade, com o crescimento das redes sociais, o problema tem piorado bastante. Abração!

      Excluir
  2. Muito boa reflexão, estou discutindo comigo mesma agora haha tentando encontrar um motivo, ou desculpa para agir como se tudo fosse perfeito em minha vida, mas por dentro a alma chora. Acho que a maioria das pessoas param de buscar a Deus quando a vida está muito boa, por isso mesmo. Sabe acho que esperamos muito de Deus, queremos que ele apareça e esperamos receber algo em troca de o servimos. É confuso haha Quando passamos necessidade e estamos mal de espírito qualquer palavra de Deus nos consola, e são grandes as promessas. Quando está tudo ótimo, não temos forças para buscá-lo, se nada está faltando.

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. É bem por aí mesmo Melissa! Seres humanos costumam ir, sempre pela escolha mais fácil. E costumam agir da maneira correta, sempre quando a ferida dói. É lástimavel agirmos assim, no entanto é a triste realidade.

      Excluir
  3. Pensamento muito verdadeiro, argumentos coerentes demais. Em um único texto você uniu dois assuntos bastante interessantes que desfecham em uma temática única.

    Há os que vivem de vidas inexistentes, na verdade, criando para si personagens, tornando-se seres ambíguos em suas trajetórias. Isso é comum demais. São poucos os que conseguem dar a cara a tapa e dizer com todo orgulho 'sou o que sou e isso basta, me aceitem assim'.

    A busca por Deus deve ser contínua sim, e isso enriquece a parte espiritual do indivíduo, independente de como seja feita esta busca. Aquele que não o busca nos momentos bons é um verdadeiro hipócrita.

    Gostei por demais do texto, parabéns.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. Valeu Leonardo. Concordo com o seu pensamento de, é difícil aceitar-se como se é na realidade. E quanto à busca de Deus, infelizmente, somente o buscamos na hora da dor, sofrimento e do aperto, seja da alma, ou de outras circunstâncias que a vida impõe. Abração!

      Excluir

Conheça mais sobre o fundador do Marcas Literárias

LIVROS DO AUTOR LUCIANO OTACIANO EM DESTAQUE

#PapoComAmanda: Especial Halloween

Artigos, crônicas, contos, poesias e destaques