Aprendiz da vida


Gente, chega a ser engraçado como somos cegos e completamente medrosos quando o assunto é o amor. De fato o amor machuca, no entanto é melhor machucar-se do que não senti-lo. Não acha? Pois bem, nenhum ser humano nasce sabendo andar. Mamãe sempre me diz que eu demorei bastante a andar, ela disse que eu fui andar com aproximadamente um ano e dois meses, me parece uma eternidade para um simples ato, andar, contudo, eu não sabia fazê-lo. Agora imagine comigo, quantos tombos, quantas quedas, quantos arranhões que eu tive de ter para finalmente poder andar com minhas próprias pernas. Aí eu te pergunto: passarás a sua vida fugindo do amor? Com medo de se arriscar e se machucar? Ou entrará de cabeça em prol daquele amor, que você julga ser o verdadeiro, aquela sensação gostosa, que te faz sentir a estranha sensação de borboletas voando em seu estômago, a incrível sensação de estar nas nuvens sem ao menos ter asas para voar. A mim parece que seremos eternamente crianças quando falarmos de amor e, principalmente, quando vivenciarmos o sentimento. Lembre-se de uma coisa: quando começamos a andar falta-nos coordenação, falta-nos disposição, falta-nos concentração e atenção. Falta-nos muitas coisas para aprendermos a andar de forma correta. Não é mesmo!? Contudo, sempre aprendemos o que temos que aprender e, no fim, é o que importa. Não é mesmo!?

No amor é a mesma coisa, só aprenderemos a amar quando estivermos praticando o ato de amar. Quanto mais você ama, mais apto você estará para enfrentar o que o amor tem a oferecer. Seja na dor de amar alguém que não lhe quer e, nem te ame de volta, ou a perfeita felicidade, aquela que todos nós procuramos de ter um amor correspondido. Como tudo em nossas vidas o amor também tem a sua dualidade. O lado bom e o lado ruim, engana-se quem pensa que o amor é um eterno conto de fadas e que não possa machucar. Não é verdade?

A verdade é que o amor tem no seu lado ruim, no seu lado feio, a incrível capacidade de nos fortalecer. É nesse lado feio que crescemos, que nos tornamos mais fortes, mais preparados e mais resistentes às tormentas da vida. É claro que se pudéssemos escolher, obviamente não escolheríamos sofrer por amor, no entanto não temos escolha, a escolha que temos é enfrentarmos o que vier e o que temos a fazer é, estarmos preparados emocionalmente e psicologicamente para superarmos toda e qualquer adversidade em nossas vidas. Saiba que não existe essa de ''amor perfeito'', certinho, bonitinho. Se você ama à sua maneira é o que realmente importa. Até porque somos diferentes e cada um de nós têm um jeito único de amar. E é por isso que é tão gostoso amar. No Universo a melhor coisa da vida é o amor. Entenda de uma vez por todas e, principalmente, aceite, saiba que é amando que se aprende a amar, agindo dessa maneira é a maneira mais fácil e menos dolorosa de se chegar onde temos de chegar. Então, não temos escolha, a melhor escolha é: ame, ame muito. Ame o quanto você puder. Quem muito ama, certamente ama melhor que os outros e, saiba que felizes são aqueles que amam. Não se torne menos amável após o sabor amargo de um desamor. Precisamos de pessoas dispostas a amar, falta-nos amor  na atualidade. A tecnologia melhorou nossas vidas, porém nos tornou e está nos tornando cada vez mais frios e distantes ao sentimento. Aprenda com os erros, existe uma lição a aprender e é por isso que erramos tanto, quanto mais erramos mais a vida nos ensina e é aí que aprendemos a não errar novamente. Saiba que os amores passados são meros treinos para os amores que virão e, quando ele vier, não vacile, não ignore-o, não titubeie. Entre de cabeça e com o coração aberto e simplesmente ame. Ame como se não houvesse o amanhã, pois o amanhã é incerto e possa ser que seja tarde para amar. Então comece já, agora. Não espere para ser feliz, amando, errando, aprendendo e principalmente vivendo. Viver é amar e amar é viver. E cá pra nós, amar sempre valerá a pena. E como vale.....

6 comentários:

  1. Que texto maravilhoso! Simplesmente, incrível. Você conseguiu expor muito bem a realidade dos seres humanos. Estou satisfeito em ler esse pensamento que, na verdade, é comum em todos, sem exceção, pois todos têm esse medo, mesmo que seja em pequena escala, medo este que acaba impedindo que o indivíduo conquiste o próximo ou aprenda com as não conquistas. O medo é um componente importante na vida dos seres humanos, mas vale lembrar que manter-se nessa esfera não é vantajoso a ninguém.

    Muito bom, Luciano, um de seus melhores pensamentos e mais bem transmitidos.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. Obrigado Leonardo. Que bom que tenha gostado. Abração!

      Excluir
  2. Muito pertinente esse teu texto, falar de amor não é fácil e se doar a ele mais difícil ainda, afinal de contas o que é o amor?

    Oseias de Paula diria: “o amor é tudo, feliz é quem ama, não há barreira para conter essa chama”. Renato Russo o musicou: “seria um fogo que arde sem se ver é ferida que dói e não se sente”, Djavan afirma que o amor “é um grande laço, um passo para uma armadilha” , mas de fato o que é o amor? Palavras simples cortejada pelos amantes, amada pelos poetas, adorada pelos teólogos que tem na figura do criador o essência primeira do amor, o amor em sua forma bruta. Mas esse léxico que tanto fascina, fascina justamente por isso por não ter uma definição única, e aí ninguém melhor que Protágoras para explicar isso em sua filosofia, pois ele afirmava ser o homem a medida de todas as coisas. Logo, toda coisa no universo mesmo sendo coisa única terá um significado altamente subjetivo, partindo sempre da vivência do sujeito com a coisa de sua experiência.

    Humildemente cumpro aqui o meu dever como partículas da inteligência universal dar o meu significado de AMOR.

    O amor é um sentimento de valorização por um ser ou objeto externo a quem ama. E sendo o amor uma valorização e até admiração por esse objeto, à dor de amar nada seria a não ser uma supervalorização desse objeto ou pessoa, tornando algo externo mais valioso do que quem ama. Nesse sentido todo amor que sai em alguma medida deve manter-se na sua origem, ou seja, quem ama deve acima de tudo amar a si mesmo, pois não amando a fonte, toda água que jorra, jorra para o nada.

    Parabéns moço!

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. Concordo com o que você disse Geane. No entanto acredito que amar não é somente valorizar alguém ou algo, simplesmente porque principalmente nos dias atuais a maioria das pessoas supervalorizam algo, principalmente objetos, bens materiais e tudo o mais. Esquecendo de valorizar a pessoa acima de tudo. É claro que não são todos, mas muita gente valoriza o que tem, seja uma casa bem equipada, um emprego que a pessoa acha ser o emprego dos sonhos, várias faculdades e cursos, um carro novo e da hora, roupas de marca, esse tipo de coisa, e o pior que não tem nada haver com classe social e poder aquisitivo financeiro elevado, a mim me parece ser falta de caráter mesmo. Veja bem, não estou dizendo que as pessoas não devam valorizar o que elas tem, ou o que elas conquistaram, somente na minha opinião estão supervalorizando demais essas coisas e esquecendo de valorizar o outro como Ser humano. Entendes. E me parece que o amor é algo que nunca entenderemos de fato, até porque no meu entender tem muito haver com o lado espiritual de nós seres humanos, e cá pra nós essa área pouco nos interessa. Essa é uma grande verdade, quase ninguém tem um lado espiritual elevado, alguns até pensam que possui, no entanto acabam se enganando a si próprio. Adorei o seu ponto de vista, amiga. É por isso que eu gosto por demais de ler os seus comentários. Forte abraço!

      Excluir
  3. Nossa! Estou suspirando aqui, muito bom o texto!
    "Saiba que os amores passados são meros treinos para os amores que virão e, quando ele vier, não vacile, não ignore-o, não titubeie. Entre de cabeça e com o coração aberto e simplesmente ame."
    Frase Perfeita!

    ResponderExcluir

Conheça mais sobre o fundador do Marcas Literárias

LIVROS DO AUTOR LUCIANO OTACIANO EM DESTAQUE

#PapoComAmanda: Especial Halloween

Artigos, crônicas, contos, poesias e destaques