Você é capaz de escutar e ler as 'Palavras de Rua'? Conheça a obra e o jovem autor Felipe Saraiça


A ideia de Felipe Saraiça reconhecida no livro ''Palavras de Rua'', diga-se de passagem, muito original e, acima de tudo, humana, é sem dúvida o ponto chave dessa obra tão bem escrita e apresentada ao leitor. Os sentimentos mais humanos não passam desapercebidos na narrativa e, percebe-se muito mais que inspiração no autor para compor a história e retratar problemas individuais, sociais e familiares. A necessidade de expor tais experiências — mesmo que não vividas pelo mesmo — é uma algema ainda fechada para muitos que, diferente deste jovem autor, preferem não olhar com zelo e atenção para o outro lado da sociedade em que vive. 

''Caminhei pela estrada e entrei numa rua sem cor ou luzes natalinas. Ali diversas pessoas se reuniam com o mesmo objetivo: Encontrar em desconhecidos o afeto que a família deixou de dar.''


Palavras de Rua / Felipe Saraiça / 186 páginas / 2016 / Editora PenDragon /
Young Adult / Comprar


Sinopse: João saiu de casa ainda adolescente. Fugiu sem se despedir e sem muita coisa na mochila. Deixou para trás suas poucas lembranças, mas levou as marcas do passado e dos golpes que ainda doíam. Partiu sem rumo ou direção. Seguiu por ruas e estradas desconhecidas, até que seu corpo ficou exausto e teve que parar. Ali dormiu olhando as estrelas em cama de concreto e cobertor de papelão. Acordou outro alguém; morador de rua, sem história, marginal. Tornou-se invisível. Passou a estender a mão e pedir moedas, mas recebeu em troca chicletes mastigados e olhares de desprezo. Porém, entre rostos desconhecidos e olhares vazios, ele também encontrou a bondade e abrigo daqueles que nada tem.


O enredo de ''Palavras de Rua'' é cheio de sentimento e verdade, e isto é logo enxergado quando as primeiras páginas são folheadas. Felipe Saraiça exprime com genialidade o lado mais humano dos seres humanos, seja este lado bom ou ruim, e triangula essências fundamentais do comportamento individual. O psicológico entra em tese mediante ao confronto das experiências vividas pelo protagonista. ''Palavras de Ruas'' é um livro cheio de valores, sentimentos e de uma escrita simples mas profunda, objetiva e capaz de mostrar problemas familiares e sociais ainda rejeitados por muitos.

O personagem principal retém o foco das atenções mas não desencadeia um dos alvos mais reflexivos no livro. Além disso, ele não vive apenas as suas desgraças do dia a dia, mas representa outros tantos ''Joãos'' que, assim como ele, passam desapercebidos e tratados como lixos da sociedade, isso quando não diretamente chamados de poluidores das ruas. Entretanto, muitos desses possuem habilidades extraordinárias e, às vezes, escondidas. Aquele que lê ''Palavras de Rua'' se depara com um misto comum de reflexões que cada vez mais se torna descomunal no meio social. Os desencontros desencadeiam encontros inesperados para João, protagonista simples porém marcante.

''Diversas coisas passaram pela minha cabeça quando saí de casa e decidi tentar a sorte nas ruas, mas o que eu nunca poderia imaginar é que a primeira coisa que iria me chocar seria a imagem de um pai e um filho brincando de forma tão natural''

O momento é de dor e sofrimento. Os olhos de João expressam toda a sua angústia e medo do desconhecido, aliás, da desconhecida, a RUA, figura importante no livro que às vezes chega a ser mais aterrorizante que um verdadeiro filme de horror. Nela, o exímio artista apresentado pelo autor passeia sem direção mas com um propósito belo e próprio. Diante de todas as possibilidades, encontra no meio dos mais variados revés, sentidos, talentos e valores antes não percebidos.

A temática do autor induz o leitor a vivenciar com facilidade a trajetória de João e sentir o cheiro das ruas enquanto se observa os olhares ferozes daqueles que de longe ou perto rejeitam e destratam os moradores das ruas. Com uma escrita objetiva que transmite muito sentimento e verdade, ao estilo de clássicos da nossa literatura como Graciliano Ramos e José Mauro de Vasconcelos, o autor pode ser caracterizado por essa facilidade na escrita e expressão e pela habilidade de prender o leitor e deixá-lo como parte viva de todo o contexto gerado. O enredo triste — em sua maior parte — mas real e de finalidade admirável, é desenvolvido e conduzido perfeitamente por Felipe Saraiça, que não se retém em exibir personagens singulares e um protagonista que evolui em razão de todos os problemas em sua jornada pelas ruas.

''Eu não acho que tenho talento, longe disso, mas conheci diversos artistas que fazem das calçadas o seu palco e são tão bons - e até melhores - do que muitos famosos. A diferença é que eles se apresentam pra ter o que comer. Eu escrevo para que os gritos da minha cabeça não me enlouqueçam e isso parece suficiente.''

Os curtos capítulos narram de forma respectiva, o percurso de João e a série de problemas que Maria, sua mãe, conhece junto a seu pai. O leitor sente-se tranquilo ao encontrar objetividade na narrativa deste lado já conhecido do cenário brasileiro. Os poemas que o personagem escreve enquanto jornadeia pelas ruas do Rio de Janeiro, dizem tudo o que a alma ainda não conseguia exprimir através da boca. Essa verdade nas expressões permanece viva até o final da obra e é, com certeza, um dos pontos mais chamativos do enredo. 

Sou viajante;
Teu chão é a minha casa
Minha cama é onde pisas
Mas não precisas pisar em mim.
Sou turista
Vivo sempre de passagem
Tu me evitas na passagem
Não precisas me olhar assim.
Sou morador;
De uma casa sem paredes
Cama de mámore, papelão
Que tem vista para as estrelas
E nem preciso pagar aluguel.

Por falar em poesias, senti falta delas no enredo. Talvez, algumas poesias a mais durante a história, abrilhantasse e desse ainda mais harmonia ao enredo e vida ao personagem principal. Mas ''Palavras de Rua'' não está somente ligado as poesias, sim a todo o comportamento e vida, além das palavras e gestos vistos nas ruas, na maioria das vezes ofensivos. A retratação de um indivíduo do bem e perdido entre seus próprios passos por razões bem destacadas, é perfeita. O percurso completamente desconhecido também traz suas surpresas boas, assim como acontece na vida de qualquer pessoa, e João, jovem forte e corajoso mostra que sabe aproveitar as chances que a vida lhe dá.

Facilmente lembrei-me por instantes, de pessoas como João, que permanecem invisíveis nas ruas enquanto uns e outros passam aos seus lados. A obra certamente causa uma reflexão profunda no leitor. Colocar-me no lugar de João parecia não ser difícil, porém não foi fácil quando tentei imaginar a vivência de todo o caos físico e psicológico que ele passa. O cansaço e toda a fragilidade é algo que mexe muito com o leitor.

O desfecho de ''Palavras de Rua'' é impressionante, inesperado e revelador, além de contornar uma outra realidade também muito questionada e conhecida. O autor aproxima-se da perfeição com esta obra que trabalha muitos aspectos sociais e individuais. Apesar da realidade explícita em todo o enredo deste Young Adult, o drama apresentado não é excessivo, o que torna a leitura ainda mais agradável. Certamente é um livro que merece cinco estrelas e muitas indicações. A Editora PenDragon e todos os envolvidos na publicação do mesmo merecem aplausos pelo belo trabalho apresentado ao leitor.

Abrigo

Talvez o lar nem sempre seja um lugar
Seja um alguém
Uma poesia
Que te abriga e não cobra aluguel


7 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Excelente a resenha Leonardo. Parabéns à você e, ao autor do livro. Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Luciano, teus comentários são sempre bem-vindos.

      Abraço.

      Excluir
  3. Muito legal! O Felipe é um grande talento! Super resenha!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Allison, concordo contigo, o Felipe é super!!!

      Volte sempre.

      Excluir
  4. Que resenha linda, e que livro interessante! “Sair sem se despedir e sem muita coisa na mochila, deixando para trás suas poucas lembranças...” Não é fácil segui sem olhar para trás, mas o que se apresenta também é muito difícil. Confesso que ao ler a resenha me vi a observar o personagem e suas árduas experiências. É notório que somos frutos de nossos meios, e se por ventura as escolhas feitas nos leva a caminhos tortuosos, ou não, de certo modo muitas coisas que não sabemos quais nos direcionou para a trilhar nessa jornada.

    Continuo encantada com a forma que resenhas moço, parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grato pelo elogio, querida Geh, sua visão sempre é um complemento essencial para os artigos apresentados.

      Beijos.

      Excluir

Conheça mais sobre o fundador do Marcas Literárias

LIVROS DO AUTOR LUCIANO OTACIANO EM DESTAQUE

#PapoComAmanda: Especial Halloween

Artigos, crônicas, contos, poesias e destaques